Bordeaux

Por em 23 junho, 2017

01

A pequena Paris! Cidade do comércio, da arte e da cultura! Capital mundial do vinho! A mais inglesa de todas as cidades francesas!

A HISTÓRIA

Bordeaux existe desde o século III ac.
Em 1130, Eleonor de Aquitaine, filha e herdeira de Guilherme X, a noiva mais desejada da Europa, casou-se com Louis VII , futuro rei da França, em 22 de julho de 1137, na catedral de Bordeaux. Louis recebeu como dote Aquitaine, Poitou e Gascony ampliando assim, os dominios da coroa francesa. Infelizmente o casamento não deu certo e foi anulado 15 anos mais tarde com a alegação de consanguinidade. Leonor recuperou o controle dos seus territórios e em 6 semanas estava novamente casada. Desta vez, com o futuro rei da Inglaterra ,Henrique II, 11 anos mais novo que ela. Dessa união nasceram, Ricardo Coração de Leão e João sem Terra, ambos, futuros reis da Inglaterra. O dominio da Inglaterra sobre a Aquitaine, Poitou e Gascony durou mais de 300 anos,ou seja, por quase toda a idade média.

Ponte sobre o rio Dordogne em Castillon La Bataille

Pont sobre o rio Dordogne em Castillon La Bataille

Somente na guerra dos cem anos, em 17 de julho de 1453, na batalha de Castillon, travada a 30km, nordeste de Bordeaux, que a artilharia francesa comandada pelo rei Charles VII destruiu a armada inglesa comandada pelo general Talbot, designado pelo rei inglês Henri VI. A Aquitaine , Poitou e Gascony estavam, novamente, sobre o dominio francês. A capital da Aquitaine, regiaõ de Bordeaux do século XVIII, idade de ouro, passou a ser conhecida como a cidade mundial dos vinhos. Hoje, a cidade com quase 800000 habitantes está à caminho da total revitalização possui um conjunto de 347 imóveis já tombado pelo patrimônio Histórico pela UNESCO.

O QUE FAZER

Comece procurando o centro de ajuda ao visitante na 12 Cours du 30 Juillet, na Gare de Bordeaux Saint-Jean, rue Charles Domercq ou 2-8 Place de la Bourse. Adquira um mapa ou contrate um guia para um tour a pé(francês ou inglês), verifique qual City Pass melhor lhe atende! Economize em transporte, entrada em museus e descontos na cidade do vinho. Planeje sua viagem ao mundo dos vinhos bordelais: a Maison de Vin (casa do vinho) na 1 cours du 30 Juillet, fornece mapas e dicas sobre os vinhos e vinícolas da região. Tudo gratuitamente! Os passeios pelas vinícolas podem ser feitos de ônibus, bicicleta ou a pé.
Bordeaux possui 3 linhas do mais moderno sistema de bondes, o Tramway. Os tickets podem ser adquiridos em máquinas de autoatendimento distribuídas em vários pontos da cidade. O sistema combina ônibus e trem. Escolha o ticket que melhor lhe atende para uma viagem de 1 hora ou outras opções. Os mapas das linhas de trem estão disponíveis nas estações. Não se esqueça de validar seu ticket nas máquinas dentro do trem.
Siga explorando a cidade. Comece com as jóias da arquitetura: As 4 praças!

Place de la Comédie
By Matthieu Sévère

By Matthieu Sévère

É impossível conhecer Bordeaux sem visitar a place de la Comédie. O lugar abrigava, na era romanesca, um fórum Gallo-Romain. Como nada é para sempre, tudo que ficou foi seu nome em uma rua próxima, “Piliers de Tutelle”. É nesta praça que se encontra a fachada principal do Grand Théâtre construído em 1778, ornado com 12 colunas sobre as quais foram colocadas 11 musas e a deusa romana Juno. Bem em frente, encontra-se o Grand Hôtel de Bordeaux, um 5 estrelas, nomeado “The Regent”. É nesta praça que convergem avenidas importantes da cidade. As Ruas Esprit des Lois e cours du Chapeau Rouge oferecem um novo visual da fachada do Grand Théâtre e da Place de la Comédie.

Place de Tourny


A praça Fica no início des allées de Tourny com a place de la Comédie, o lado par da praça é ocupado por edifícios no estilo Louis XV. A maior parte deles foram realçados depois da destruição do Château Trompette que ficava onde fica hoje, a Place de Quinquonces. Os imóveis situados do lado impar foram construídos no século XIX. O carrossel é uma presença constante na praça.

Esplanade des Quinquonces
Place de Quinquonces

Place de Quinquonces

Cavalos marinhos da fonte da Place des Quinquonces

Cavalos marinhos da fonte da Place des Quinquonces

Chamada de Quinquonces por causa do arranjo de suas 5 unidades em forma de “D”, é a maior praça da França e a mais ampla. Nela são realizados concertos e feiras como a Foire aux plaisirs (feira dos prazeres-um parque de diversões), e a Foire d’Automne (feira de outono -mercado da pulga – feira de bugingangas).
Criada no inicio do século XIX, no lugar do château Trompette, ela é arborizada. O monumento aos Girondinos e duas colunas decoram sua extremidade. A principal estação de correspondência do tramway passa por aqui. Partindo da Place de la Comédie através da cours du XXX juillet, basta uma caminhada de 5 minutos para se chegar à Place des Quinquonces.

Place Gambetta


A praça possui um importante conjunto arquitetônico. Situada a oeste do centro histórico e fora dos muros da cidade, perto da porta Dijeaux.

Porte Dijeaux


A porta Dijeaux era uma entrada a oeste da vila, desde a época romana. Não foi impactada pelo crescimento da vila no sentido sul, no século XIII. As muralhas construídas no século XIV deslocaram-na alguns metros em direção ao oeste. A última porta foi substituída pela atual, entre 1748 e 1753. A vila continuou crescendo no sentido oeste. Foi classificada como patrimônio histórico em 2 de junho de 1921.

La Grande Cloche

No coração da vila, único vestígio das antigas muralhas, a torre do sino dita o ritmo de vida dos cidadãos desde o século XIII. No seu interior está escrito:

«Mes coups marquent le temps, ma voix appelle aux armes, (…) j’ai des chants pour tous les bonheurs, pour tous les morts j’ai des larmes»

«Meus golpes marcam o tempo, minha voz chama para a guerra,(…) eu tenho cantos para todas as alegrias, para os mortos eu tenho lágrimas».

Hoje, o grande sino anuncia a chegada da colheita. Fica na 1 rue Saint-James – Cours Victor Hugo.

Place de la Bourse
Au Port de la Lune

Au Port de la Lune

Esta praça tem história! Construída em 1794, com o objetivo de abrigar a estátua equestre de Louis XV, recebeu o nome de Place Royale (Praça Real) e simbolizava a prosperidade da vila. Durante a revolução francesa, a estátua foi destruída e a praça passou a ser chamada Place de la Liberté (Praça da Liberdade).
Durante o império de Napoleão I teve o nome alterado para Place Impériale (Praça imperial). Em 1828, depois da restauração na qual foi colocada uma modesta fonte no lugar onde antes ficava a estátua de Louis XV, voltou a se chamar Place Royale (Praça Real).
Por fim, em 1848, foi chamada de Place de la Bourse(Praça da bolsa de valores). Contornada por imponentes edifícios, possui ao centro um dos maiores espelho d’água do mundo. No verão não há quem não queira se refrescar nessas águas.

Fonte des Trois Grâces na Place de la Bourse

Fonte des Trois Grâces na Place de la Bourse

Em 1869, a modesta fonte foi substituída pela fonte des Trois Grâces (Três graças) que representa as 3 filhas de Zeus, Aglaé, Euphrosyne e Thalie.

As Pontes
Pont Saint-Jean

Pont Saint-Jean

Pont d’Aquitaine

Pont d’Aquitaine

Pont de Pierre

Pont de Pierre

Bordeaux, por um longo tempo, se contentou com uma única ponte, a Pont de Pierre, que possui 17 arcos e foi construída por ordem de Napoleão I, a partir de 1813. Esperou por 143 anos até que uma nova ponte fosse construída em 1965, a ponte Saint-Jean. O passo decisivo para a expansão da cidade foi a ponte d’Aquitaine, construída em 1967.

Port de la Lune
By Olivier Aumage

By Olivier Aumage

O porto de Bordeaux é comumente chamado de Port de la Lune(Porto da lua) por causa do seu formato de lua crescente. Há também aqueles que acham que seu formato é de um croissant. Sua arquitetura é fantástica e um exemplo da influência de 2000 anos de história, principalmente dos séculos XVIII e XIX. Aqui, é o local de várias manifestações culturais e esportivas, cafés e lojas.

Cathédral Saint-André

A maior igreja de Bordeaux é também, caracterizada por luxo e ostentação. Observe as esculturas da porte Royale do século XIII e as esculturas da porta norte do século XIV. Fica na place Pey-Berland. A torre Pey-Berland de 47m de altura é uma construção do século XV.
Muséu des beaux-Arts – Possui uma coleção de artes que vai do século XV ao século XX com trabalhos de Veronese, Delacroix , Marquet e outros. Fica na 20 cours d’Albert.

OS ARREDORES (BATE E VOLTA)

Dune du Pilat - Arcachon

Dune du Pilat – Arcachon

Arcachon – o Balneário de Arcachon vive no ritmo das marés. Aqui come-se ostras da melhor qualidade e vale pegar uma prainha. Seu cartão postal é a Dune de Pilat, a mais alta da Europa, com 114 m. Chega-se ao topo por uma passarela e depois uma escada, com 190 degraus. A viagem de TER dura 00:50hs de Bordeaux a Arcachon.

Um mergulho no mundo dos vinhos

Nenhuma região vinícola do mundo produz tantos vinhos de altíssima qualidade como Bordeaux. A maioria deles são tintos, mas sub-regiões como Sauternes e Barsac produzem alguns dos melhores vinhos brancos do mundo. São milhares de vinícolas distribuídas por sub-regiões, a maioria delas abertas à visitação com degustação.

MÉDOC – Os mais célebres châteaux e os mais prestigiados vinhos do mundo estão nesta sub-região de Bordeaux. Aqui, os vinhos típicos são Cabernet Sauvignon, o Merlot e uma pequena fração para o Petit Verdot. As visitas às vinícolas de Médoc precisam ser agendadas. É aconselhável a contratação de um guia. Consulte o centro de ajuda ao visitante. Registre!!!

Château Margaux

Château Margaux

Margaux – Neste vilarejo de Médoc está o mais famoso dos Châteux, o Château Margaux. senhor incontestável da região, Olimpo do Deus Dionisio em Bordeaux. As visitas e degustações não estão disponíveis para mortais, só visitantes importantes possuem um convite de acesso. O castelo, construído no século XIX, é o “Versailles de Médoc” e sua imponência pode ser vista de fora. A viagem de TER de Bordeaux a Margaux dura 01:00h.

Vinhedo de Pauillac – Château Cos d’Estournel

Vinhedo de Pauillac – Château Cos d’Estournel

Pauillac – A cidade fica no estuário de Gironde. Faça um passeio de barco. Visite as 3 principais vinícolas: Lafte-Rothschild, que ainda possui garrafas da safra de 1797, Mouton-Rothschild, o mais visitado, fica a 1km ao norte de Pauillac e finalmente o Latour. A viagem de TER de Bordeaux a Pauillac dura 01:15hs.

GRAVES – Situada ao sul de Bordeaux abriga AOC prestigiados como Cérons, Sauternes e Barsac, os 3 de vinhos brancos doces, sendo que o Sauternes é considerado a excelência do vinho branco doce do mundo. Situada a 40 km de Bordeaux.

Torre do Sino da igreja monolithe em Saint-Émilion

Torre do Sino da igreja monolithe em Saint-Émilion

SAINT-ÉMILION / FRONSAC / POMEROL – Situada em torno da cidade medieval de Saint-Émilion, a região produz vinhos excelentes que quase se aproximam, em qualidade ,aos vinhos da região de Médoc e Graves. As uvas são a Cabernet Franc junto com Merlot e Cabernet Sauvignon. Saint-Émilion é imperdível! A viagem de TER, através de um caminho com bosques e campos, dura 00:30hs. O desembarque acontece no meio de um vinhedo. A caminhada até o centro da vila dura 20 minutos passando por inúmeros pequenos châteaux.

A atividade número 1 da vila, desde o império romano, é a produção de vinhos e a segunda são os macarons, que consumidos com um bom vinho, são deliciosos. Visite a igreja monolithe do século IX, subterrânea, esculpida por monges beneditinos. À medida que a cidade foi sendo construída foram se formando túneis subterrâneos e catacumbas que hoje são utilizadas como caves. Consulte o centro de ajuda ao visitante na Place Créneaux para visita à torre do sino, Donjon du Roi e visitas guiadas aos châteaux dos vinhos. Não esqueça de fazer uma visita ao museu arqueológico.

Donjon du Roi de St-Émilion

Donjon du Roi de St-Émilion

Em setembro, do alto da torre de vigia, o Donjon de Roi, os membros da Jurade proclamam a abertura oficial da colheita.

Outras sub-regiões

BLAYE E BOURG – Situada ao norte de Saint-Émilion, na margem oposta ao Médoc, esta região produz vinhos menos prestigiados, mas de ótimo custo-qualidade.

ENTRE-DEUX-MERS – este território situado entre os rios Garonne e Dordogne, entre Graves e Saint-Émilion, é conhecido por seus vinhos brancos, mas tem evoluído muito na produção de tintos. A vila de Cadillac , situada no coração de Entre-Deux-Mers, era inglesa, dominada pelo Château do duque d’Épernon no reinado de Henri III.

APELAÇÕES GENÉRICAS – Em toda a região de Bordeaux encontram-se pequenos châteaux sem localização específica, que produzem vinhos de alta qualidade com AOC.

SOUVENIRS

A rue sainte-Catherine é a maior rua de pedestre de Bordeaux e a maior área comercial.

A Galerie Bordelaise, aberta desde 1834, cheia de elegância e grifes, não perde em nada para as galerias de Paris. Entretanto, o fluxo de turistas e compradores tem sido prejudicado em função do comércio de rua da Sainte-Catherine. Fica na 12 Rue Sainte-Catherine.

Centre commercial Les Grands Hommes. Fica na 12 Place des Grands Hommes.
Port de la Lune é cheio de lojas e cafés.

A Vinothèque na 8 cours du 30 Juillet, possui uma grande variedade dos melhores vinhos de Bordeaux.

As praças mais animadas de Bordeaux são Place de la Victoire, Place du Parlament, Place St-Pierre e Place Gambetta.

QUANDO ANOITECE

Um bom começo é adquirir o “Bordeaux Plus” nas bancas de revistas. Lá estão todas as dicas de Bordeaux.
O Casino de Bordeaux fica no Hôtel Sofitel Bordeaux Lac, rue Cardinal Richaud.

COMO CHEGAR

Bordeaux fica a 498 km, perto da costa do Atlântico e a sudoeste de Paris, na região de Aquitaine . Partindo de PARIS GARE DE MONTPARNASSE, o TGV gasta 3:16hs até a estação de Bordeaux St Jean.

Toulouse fica a 232km de Bordeaux e a viagem de TGV dura 2:08hs até a estação de Toulouse-Matabiau.

Limoges fica a 210Km de Bordeaux e a viagem dura 2:20hs até a estação de Limoges-Bénédictins.

Lourdes fica a 251Km de Bordeaux e a viagem de TGV dura 2:35hs até a estação de Lourdes.

Biarritz fica a 170km de Bordeaux e a viagem de TGV dura 1:57hs até a estação de Biarritz.

QUANDO IR

Bordeaux é linda o ano todo.
No inverno, dezembro a março, aproveite para visitar as estações de esqui dos Pirinéus.
Na primavera, verão e outono visite Arcachon ou Lacanau onde ocorre o campeonato mundial de surf.
Em Junho/Julho tem festa da uva.
Em setembro/outubro é o período da colheita e produção, período pré-vinho (tempo de transformação da uva em “mosto” que nada mais é que o suco da uva antes de ser prensada).

ONDE FICAR

Quality Hôtel Bordeaux Centre – Situado numa mansão do século XIX, fica a 2 minutos de caminhada do Grand Théâtre, a 350 métros da Place des Quinquonces e a 450 métros da Catedral de Saint-André. A Estação de Bonde Grand Théâtre está logo ali. Fica na 27 rue du Parlament saint-Cathérine. Diárias a partir de 128 euros.

Ibis Styles Bordeaux Meriadeck – Localizado no centro histórico de Bordeaux e bem próximo a lojas e restaurantes. Possui um restaurante com culinária típica francesa. Fica na 54 rue Joseph Abria. Diárias a partir de 115 euros, com café da manhã incluso.

Não tem hotel mais barato?tem.

Hôtel Sèze – O prédio é do século XVIII. Fica na 7 rue Sèze. Diárias a partir de 60 euros.

ONDE COMER

Bordeaux é a cidade que contém mais restaurantes por habitante na França. Desses, 13 estão classificados no guia Michelin. Concentram-se nas Place Du Parlement, Rue Du Pas Saint-Georges e Rue Montesquieu.
Entre as especialidades Bordelaises estão o entrecôte à la bordelaise( corte de carne ao molho de vinho), o Écrivisse à la bordelaise(Lagostim), foie de veau à la bordelaise (fígado de bezerro), lamproie à la bordelaise (lampréia ao molho de vinho Bordeaux). A cidade é reconhecida também pelo seu Caviar(ovas de peixe) do estuário de Geronde.
As sobremesas são especiais como os Macarons( derivado do merengue, fabricado a partir do pó da amêndoa, açúcar de confeiteiro e claras de ovos), Sarments du Médoc(laranjas cristalizadas de chocolate), canelé bordelais(bolinho em forma de baton, crocante por fora, feito de rum, baunilha e flor de laranjeira).

Lume – Pequeno restaurante de comida mediterrânea e europeia. O cardápio é pequeno, mas elegante. A sugestão para degustação é a lula e o polvo frito. O Menu completo(entrada/ prato principal/sobremesa) fica em torno de 28 euros e uma boa garrafa de vinho sai a partir de 18 euros. Fica na 3 rue des Faussets, perto da pont de Pierre.
restaurant baud et millet – A casa tem mais de 250 tipos de queijo que acompanham bons vinhos. Podem ser servidos na forma de buffet ou através do cardápio. Fica na 19 Rue Huguerie. Preços a partir de 16 euros.

Bar à vins et École du vin à Bordeaux – Com uma decoração original, esse é um super lugar para descobrir os vinhos de Bordeaux e a arte da cozinha francesa. Aqui você encontra desde uma taça de vinho a partir de 2,50 euros até um Margaux, com os conselhos de uma equipe que fica à disposição para ajudá-lo. Como sugestão, o Gruyère de Savoie, o Bouillabaisse de Paris ou os Nougat de Rouvaix. Fica na 3 cours du 30 Juillet perto da pont de Pierre.

Tante Charlotte – Ambiente romântico, cardápio simples, produtos frescos e de boa qualidade. Várias opções de vinhos com possibilidade de testá-los antes de escolher um. Fica na 7 rue des Bahutiers perto de pont de pierre. Menu completo(entrada + prato + sobremesa + café + uma garrafa de vinho) por 18 euros.

Tem mais barato? Tem.

Pode-se comer muito bem na Place Gambetta, no port de la Lune, por preços a partir de 10 euros. Minha sugestão é o cassoulet, uma espécie de feijoada com feijão branco.

Crêprerie Sel e Sucre – Muito bem decorada, com placas antigas de diferentes publicidades e velhos relógios. Os crepes são muito saborosos, tanto os salgados quanto os doces. A variedade de sabores é grande e sempre haverá um crepe para o seu paladar. Fica na 5 rue du Palais de l’ Ombriere perto da pont de pierre. Preços a partir de 7 euros.

Bon voyage!!!


Você também precisa conhecer

23 de junho de 2017

23 de junho de 2017

RELACIONADOS
Lourdes

12 de agosto de 2017

Biarritz

12 de junho de 2017

Bordéus
23°
nuvens quebradas
Humidade: 35%
Vento: 6m/s SE
Max. 23 • Min. 12
12°
Seg
18°
Ter
20°
Qua
Dados da OpenWeatherMap
Quem sou
Bird

Conheci a França através dos livros e descobri que este país é, por si só, um exemplar admirável. Desses que te hipnotizam da primeira página ao último ponto. Violento e delicado, por vezes há um toque de conto de fadas. Pura emoção.

A história francesa é o cenário principal da narrativa com suas coerências e paradoxos, glórias e fracassos. Registre!!! A leitura mágica me transportou para tempos remotos e contemporâneos.

Quero que a minha viagem seja nossa. Ela está aqui, na bilheteria da estação ferroviária. Faça uma boa viagem e volte para me contar. Como dizem os franceses: "À Bientôt, j'espère."

Parceiros