Clermont-Ferrand

Por em 5 julho, 2017

A união de duas cidades, nascida dos caprichos de um rei, é contornada por montes e colinas. Esse imenso caldeirão, arrasado por vulcões, ficou fértil e produz ricas colheitas nos seus arredores.

A HISTÓRIA

A capital de Auvergne, nasceu da união de duas cidades, Clairmont e Montferrand, por imposição de Louis XIII em 1630 e confirmado em 1731 por Louis XV. O centro da cidade é a antiga Clairmont, dominada pelas flechas negras de sua catedral, ficando Montferrand mais ao nordeste. Clairmont é um labirinto de ruas que em outros tempos eram enclausuradas por suas muralhas. Montferrand sofreu com o seu crescimento forçado: o esplendor dos séculos XV e XVI se traduziu por uma avalanche de construções de mansões cujas fachadas exibem riqueza. Entre as cidades, permaneceu um vazio que só foi preenchido em época recente, com a instalação da fábrica da Michelin que passou a gerar a energia que impulsiona a economia. A cidade é hoje uma importante conexão ferroviária da região. Possui uma população em torno de 150 mil habitantes.

O QUE FAZER

Estátua do Papa Urbano II, catredral ao fundo, Place de la Victoire

Estátua do Papa Urbano II, catredral ao fundo, Place de la Victoire

O centro de ajuda ao visitante fica na place de la Victoire. O prédio abriga o “Espace Art Roman” em seu porão, um museu que apresenta um curta metragem sobre os vestígios arqueológicos de Auvergne e guarda artefatos e arquitetura romanesca.

Linha A - Tramway

Linha A – Tramway

Desde 2006, a linha A do tramway, contando com 34 estações, foi implantada em Clermont-Ferrand. Este tipo de transporte não é novo na vila: Clermont-Ferrand foi a primeira vila francesa a colocar em funcionamento o tramway, em 1890. Entretanto, ele foi desativado em 1956 e substituído por uma rede ônibus. Pegue um mapa das estações da linha A e adquira o carnê econômico com 10 tickets ou o ticket 24 horas. Pegue um mapa da rede de transporte público(tramway, bus e autocar) no centro de ajuda ao visitante.

Place de Jaude
Station Jaude by Fabien 1309

Station Jaude by Fabien 1309

Comece seu passeio pela mais famosa praça pública da vila, a place de Jaude. Observe a estátua de Vercingetorix sentado sobre seu cavalo e empunhando uma espada. A inscrição diz: ”J’ai pris les armes pour la liberté de tous – eu empunhei as armas para a liberdade de todos”. O escultor dessa estátua foi Frederic Bartholdi, um ilustre morador de Colmar na região da Alsace, o mesmo que esculpiu a estátua da liberdade. Experimente uma taça de vinho num dos tradicionais cafés da praça.

Fontaine des lions (rue des Petit Gras) by basvb

Fontaine des lions (rue des Petit Gras) by basvb

Depois siga para a rue 11 de Novembre. Ela vai levá-lo ao calçadão da rue des Petit Gras: a história de Clermont é contada aqui!

Cathédral de Notre-Dame de l’Assomption


A catedral gótica do século XIII e suas flechas negras dominam a vila, foi precedida por 3 santuários anteriores. Seus belos vitrais são do século XII e XIII e foram feitos pelo mesmo atelier que foi feito os vitrais da Sainte Chapelle em Paris. A catedral foi restaurada por Violet-le-Duc, o mesmo que restaurou Carcassonne. Ela se encontra no topo da montanha central que forma o centro da velha Clermont-Ferrand e na place de la Victoire, ao lado da estátua do papa Urbain II, o mesmo papa que lançou a primeira cruzada em 1095.

Église Notre-Dame-du-Port


Fundada no século VI pelo bispo Saint Avit, foi reerguida pelo bispo Signon após ser queimada pelos Normandos. Entre os séculos XI e XII foi reconstruída, mas foi muito danificada nos fortes terremotos ocorridos na região entre 1477 e 1490. No século XIX foi modificada com o acréscimo da torre do sino e troca das telhas romanas por lages vulcânicas. Estas lages vulcânicas foram posteriormente retiradas voltando à identidade original em telhas romanas. Em 1998 Notre-Dame-du-Port foi inscrita como patrimônio mundial da Unesco. Fica no quartier du Port entre a place Delille e a catedral.

Fontaine d’Amboise


Esta fonte do século XVI, esculpida a partir de 1511, foi instalada primeiramente na place Derrière-Clermont em frente ao portal meridional da catedral e em frente ao palais épiscopal (hoje place de la Victoire). Ela tinha como objetivo ser decorativa e utilitária, e os habitantes utilizavam das suas águas. Em 1808 a fonte foi colocada na place Delille e em 1854 foi instalada na esquina da Cours Sablon com a avenue Carnot. Neste último lugar, tornou-se um obstáculo para a circulação moderna e em 1962 foi transferida para a place Poterne.

OS ARREDORES(BATE E VOLTA)

Vulcões de Auvergne

Vulcões de Auvergne

Nos arredores de Clermont, uma centena de vulcões extintos, os puys, compõem a paisagem. O parque Naturel Régional des volcans d’Auvergne é formado por vilarejos e fazendas com criação de gado e cabras, produzindo queijo e carne da região de Auvergne. Outros vilarejos produzem cereais, devido a fertilidade do solo.

Vilarejo no Puy de Dôme

Vilarejo no Puy de Dôme

Puy de Dôme – Um dos mais altos e mais antigos dos puys, pode ser visto de todo lugar e no topo tem-se a impressão de descobrir toda a região de Auvergne. O cenário fenomenal proporcionado por estes vulcões cobertos por um tapete verde inspirou gauleses e romanos a rezarem, desde a pré-história.

O ponto mais alto fica a 1465m e é prolongado pela antena de uma emissora de TV. Para os amantes de caminhada, pegue a estrada romana de Ceyssat, que o levará ao que resta do templo de mercúrio.
Para chegar lá, pegue um ônibus de linha que vai da base da montanha até o cume.

Igreja de Royat e sua antiga torre

Igreja de Royat e sua antiga torre

Royat – Essa vila está situada na periferia de Clermont-Ferrand. Dominada pelo Puy de Gravenoire, é essencialmente uma vila termal.
Para chegar lá, partindo da estação de Clermont-Ferrand pegue a linha B, direto para Royat.

A vila de Puy-en-Velay com o rochedo Corneille e a estátua de Notre-Dame de France. À direita, a torre da igreja.

A vila de Puy-en-Velay com o rochedo Corneille e a estátua de Notre-Dame de France. À direita, a torre da igreja.

Puy-En-Velay – Classificada como vila de arte e história, visitar Puy-en-Velay significa viajar por vários séculos de arquitetura, desde o Baptistère Saint-Jean do século X até os edifícios da rue Pannessac , cujas fachadas vão do século XVI até o século XVIII, passando pela Cathédal Notre-Dame-de-l’Annonciation com suas esculturas romanas encrustradas nos seus muros e o Hôtel-Dieu. A vila fica à 127km de Clermont-Ferrand. A viagem de ônibus dura em torno de 01:44hs.


O queijo artesanal de Puy-en-Velay é produzido a partir do leite de vaca cru e a maturação baseada no ácaro Acarus. Este queijo é chamado de « Fromage aux artisous ».
Todo sábado pela manhã no centro da vila, a place de Plot é ocupada pela feira de alimentação com especialidades locais, entre elas, o fromage aux artisous.
Todo sábado pela manhã tem o mercado das pulgas na place du Clauzel.

SOUVENIRS

Pegue o tramway e desça na estação La Pardieu Gare. Você estará no centro de uma área de compras.

QUANDO ANOITECE

Não há muito o que dizer sobre a vida noturna de Clermont-Ferrand, mas o Boulevard Trudaine é animado e possui muitos restaurantes e bares.

COMO CHEGAR

Clermont-Ferrand fica a 424km ao sul de Paris, na região de Auvergne . Partindo de PARIS BERCY, o trem gasta 3:33h até a estação Clermont-Ferrand.

Lyon fica a 167 Km de Clermont-Ferrand e a viagem dura 2:23h até a estação de Clermont-Ferrand.

Limoges fica a 231Km de Clermont-Ferrand e a viagem de TER dura 3:45h com uma conexão em Montlucon Ville (TGV).

Grenoble fica a 274km de Clermont-Ferrand e a viagem de TER dura 04:11h até Grenoble Station, com uma conexão em Lyon Part Dieu.

QUANDO IR

Devido às cadeias de vulcões, Clermont-Ferrand é uma das vilas mais secas da França. Apresenta fracas chuvas de inverno atingindo seu máximo no final da primavera em junho. Os dias de inverno são poucos, marcados pelo clima frio e seco. Os verões são quentes e marcados por tempestades violentas.

ONDE FICAR

Apparthotel Privilodges Carré de Jaude – Este apart- hotel está localizado no centro da vila, a 300m da ÓperaThéatre e a 2km da estação de trem de Clermont-Ferrand e perto da catedral. É moderno, possui cozinha compacta, que inclui um micro-ondas, lava-louças e máquina de café. Fica na 7 Avenue Julien. Diárias a partir 80 euros.

Inter-Hotel Volcanhotel – Este hotel com acomodações modernas está a apenas 350m da place de Jaude e perto de vários restaurantes e lojas. O Hotel fica na 6, Rue Sainte Rose. Diárias a partir de 70 euros.

Não tem hotel mais barato? Tem.

Hotel Clermont Estaing – este hotel oferece acomodações modernas e fica a 30km do parque dos vulcões. A estação do tramway – Montferrand La Fontaine fica a 5 minutos de caminhada do hotel. O hotel fica na 61 Rue Du Ressort. Diárias a partir de 60 euros.

ONDE COMER

Le Boeuf café – Para os amantes de carne e um bom vinho, este é o lugar ideal. Fica na 15 Rue des Petits Gras. Menu a partir de 20 euros, taça de vinho a partir de 5 euros.
L’AOC – Um pequeno Bistrô de alta qualidade e especialidades locais. Experimente o ris de veaux(arroz de vitela). Carta de vinhos reduzida, mas só de Grand Cru. Fica na 4 rue des Petits Gras.
Le Quinze-Treize – A creperia está situada na Maison de Savaron, uma construção do século XVI. Fica na 3 rue des chaussetiers, na vizinhança da catedral.

Não tem mais barato? Tem.

La Tête Dans le Pion – Este pequeno restaurante de cozinha francesa, bar, café e pub. Decoração lúdica, cheia de jogos. Pratos compostos de (salada, quiche, terrine, presunto e queijo da região). Fica na 30 Rue des Petits Gras. Menu a partir de 6 euros.

Bon voyage!!!


Você também precisa conhecer

5 de julho de 2017

5 de julho de 2017

RELACIONADOS
Vichy

2 de setembro de 2017

vista da estação des Bénédictins do Champs de juillet
Limoges

8 de novembro de 2016

Arrondissement de Clermont-Ferrand
21°
céu limpo
Humidade: 22%
Vento: 7m/s S
Max. 21 • Min. 6
15°
Seg
15°
Ter
16°
Qua
Dados da OpenWeatherMap
Quem sou
Bird

Conheci a França através dos livros e descobri que este país é, por si só, um exemplar admirável. Desses que te hipnotizam da primeira página ao último ponto. Violento e delicado, por vezes há um toque de conto de fadas. Pura emoção.

A história francesa é o cenário principal da narrativa com suas coerências e paradoxos, glórias e fracassos. Registre!!! A leitura mágica me transportou para tempos remotos e contemporâneos.

Quero que a minha viagem seja nossa. Ela está aqui, na bilheteria da estação ferroviária. Faça uma boa viagem e volte para me contar. Como dizem os franceses: "À Bientôt, j'espère."

Parceiros