Auxerre

Por em 12 agosto, 2017

No século VI a rainha Clotilde se rendeu ao charme do rio Yonne. Existem tantas igrejas, museus e ruas no declive do rio que é impossível não pensar que o rio seduziu toda a vila.

A HISTÓRIA

Auxerre, cuja pronúncia é “Ausserre”, é a capital da baixa Borgonha. Existe desde a época romana, mas com poucos vestígios dessa época. Nasceu numa montanha com vista para os 2 lados do rio Yonne.

No século IX foi considerada como o reino da intelectualidade por causa da escola monástica em torno da abadia Saint-Germain e conseguiu tocar todo o ocidente cristão. Durante a Guerra dos Cem anos, a cidade foi pilhada e destruída. Entre 1348 e 1361 a Peste Negra acrescentou mais destruição para a população.

A chegada do renascimento embelezou a cidade, cujo centro conserva numerosas casas da Idade Média, século XVI. Durante a Revolução Francesa, Auxerre conseguiu evitar um grande terror, e em 1815, quando Napoleão escapou da ilha de Elba, alojou-se por 2 dias na prefeitura da cidade. Nessa época, Louis XVIII mandou o marechal Ney atacar Napoleão, mas Ney mudou de lado e apoiou o imperador.

No século XX, as guerras trouxeram muita emoção e luto. Hoje, a cidade, de tão tranquila, parece estar eternamente em férias. Seus 34000 moradores reclamam, pois gostariam de ver mais animação e mais festas por aqui.

O QUE FAZER

O centro de ajuda ao visitante fica na 7 place de l’Hôtel de Ville ou 1-2 quai de la République. Solicite seu guia turístico ou contrate uma visita guiada. A vila possui 11 bairros e o centro histórico fica do lado esquerdo do rio, a 1,5 km da estação de trem. A oeste o bairro é atendido por navettes(ônibus), gratuitas e regulares que facilitam o deslocamento.
A vila calma possui 35 monumentos históricos e 3 museus. A rue du Temple é a artéria principal, sua visita começa com apreciação de sua arquitetura variada e suas inúmeras construções de madeira.

Cathédrale Saint-Etienne

A catedral levou 600 anos para ser concluída e foi inscrita como patrimônio histórico da humanidade em 1840. A nave foi construída no estilo gótico, os vitrais são do século XIII e XIV, e há outros elementos do século XVI. Durante as guerras reliogiosas, foram perdidas as esperanças de terminar o edifício. A torre sul nunca foi concluída. A revolução francesa causou inúmeros desgastes ao prédio e ao mobiliário. Fica na place Saint-Étienne.

Abbaye Saint-Germain

Esta abadia beneditina foi fundada no século V por saint Germain d’Auxerre. Sua verdadeira ascensão data do século VI, quando foi reconstruída pela rainha Clotilde, segunda esposa de Clovis e princesa de Bourgogne, para honrar Saint Germain e depois no século IX no reino de Charles o careca. Durante a Revolução Francesa a abadia foi muito destruída. Em 1793, se tornou colégio militar e em 1810 os prédios serviram de hospital. Em 1817, Louis XVIII reconstruiu a abadia no estilo gótico. A igreja foi classificada como patrimônio histórico em 1840. A abadia passou por restaurações entre 1969 e 1972 e o conjunto foi classificado como patrimônio histórico em 1971. Fica na 2bis Place Saint-Germain.

La tour de l’Horloge

Situada no calçadão da velha vila, a tour de l’Horloge ou tour Gaillarde foi construída em 1483 sobre uma das portas da vila, que data do século XII. Era um campanário, símbolo da independência e prosperidade da vila. A particularidade de relógio vem das suas 2 agulhas, diferentes uma da outra pelo sol ou a lua que fica na extremidade delas. Elas indicam o movimento solar ou lunar. A Tour de l’Horloge foi classificada como monumento histórico em 1862. Fica na Place de l’Hôtel de ville.

OS ARREDORES (BATE E VOLTA)


Avallon – A memória de Avallon é ocupada por batalhas amargamente disputadas entre França e Bourgogne. A vila vive nessa atmosfera medieval e conserva suas muralhas. O château de Marrault foi destruído porque o seu dono se recusava a preferir a França à Bourgogne. A igreja de Saint Lazare recebeu muitos peregrinos que a reformaram e a aumentaram. A igreja de Sainte-Magnance é gótica e a vida da Santa é contada no seu túmulo. Pasteur vinha sempre aqui e um monumento foi erguido em sua homenagem.
Avallon fica a 52km de Auxerre, para chegar lá pegue o TER.


Chablis – A pequena cidade fica ao norte da Bourgogne quase na região de Champagne. Sua reputação vem dos vinhedos AOC de Chablis, não muito distante da vila. Produtora do vinho branco “Chablis”, sua única uva permitida é a Chardonnay. Este clássico da região, conhecido e várias vezes copiado no passado, é charmoso, delicioso e seco. Excelente companhia para ostras frescas.
Chablis fica a 20km de Auxerre. Para chegar lá, procure o centro de ajuda ao visitante.


Vézelay – tornou-se o centro do cristianismo quando a nova basílica foi edificada no século XII para guardar as relíquias de Maria Madalena, irmã de Lázaro. Peregrinos de passagem para Santiago de Compostela se reuniam aqui. São Francisco de Assis fundou aqui um convento. A vila em torno da basílica é prospera. No dia 22 de julho é feita uma homenagem a Madalena.
Vézelay fica a 52km de Auxerre, para chegar lá pegue o TER.

SOUVENIRS

O vinho local é a melhor lembrança de Auxerre juntamente com suas especialidades doces e salgadas, produzidas nas fazendas arredores.

Les Agapes – Oferece uma seleção rigorosa de vinhos, uma grande diversidade de acessórios para vinhos e a melhor seleção de produtos da fina mercearia. Fica na 13 rue de Preuilly.

La Broc – Venda de achados e antiguidades. Fica na 45 rue du Temple.

QUANDO ANOITECE

Um jantar no restaurante mais sofisticado da cidade pode ser uma boa idéia. Le Jardin Gourmand fica na 56 Boulevard Vauban, numa casa de 1870, pertinho da catedral.

COMO CHEGAR

Auxerre fica no coração da Bourgogne a 164Km de Paris. Partindo da estação PARIS GARE DE LYON, o TER gasta 1:57hs até Auxerre.

Dijon fica a 165km de Auxerre a viagem de TER dura 2:01h.

Strasbourg fica a 391Km de Auxerre e a viagem de TGV e TER dura 5:01h com conexões em Dijon station e Laroche Migennes.

Lyon fica a 296Km de Auxerre e a viagem de TGV e TER dura 4:15h com uma conexão em PARIS GARE DE LYON.

QUANDO IR

Auxerre está localizada no coração de um vale com o rio Yonne de um lado e de outro. É muito quente no verão e muito frio no inverno. O melhor período para visitação é entre setembro e outubro.
No terceiro domingo de maio tem o Festival Fleurs des vignes – Mais de 100 viticultores sem reúnem para mostrar e degustar vinhos, com muita música e arte.
Em julho/agosto “Le festival garçon, la Note!” anima Auxerre com concertos gratuitos em um café, de segunda a sábado de 21h à 23:30h. Uma programação variada como jazz, rock e música celta é tocada todos os anos.
Em dezembro acontece o mercado de Natal.

ONDE FICAR

Le Show Room – Apartamento mobiliado, localizado na casa de pedra mais antiga de Auxerre. Está há 2km da estação de trem e há 800m da catedral, na 5 place Robillard. Diárias a partir de 150 euros.

Hôtel le Maxime – Localizado na borda do rio Yonne, próximo à estação de trem e do coração da vila. Fica na 2 Quai De La Marine. Diárias a partir de 86 euros.

Hotel De La Poste – O hotel fica a 300m da catedral e a 100m da place des Cordeliers. Fica 9 Rue D’orbandelle. Diárias a partir de 74 euros.

Não tem hotel mais barato?

Hôtel du Commerce – Situado no centro da vila, a 5 minutos a pé da catedral de Saint-Étienne. A estação de trem fica 1,5km do hotel e a Abadia de Saint-Germain fica a 800m. Possui quartos personalizados e um bar. Fica na 5 rue René Schaeffer. Diárias a partir de 48 euros.

ONDE COMER

É impossível falar de qualquer cidade borgonhesa sem falar de gastronomia. O escargot de Bourgogne é de dar água na boca e a trufa de Bourgogne, verdadeiro diamante negro da gastronomia, possui aromas e perfumes únicos. Os queijos, como o Epoisses, o Soumaintrain e o queijo fresco de cabra, não podem ser esquecidos. O petit fou acompanha maravilhosamente bem o café.

Le Jardin Gourmand – Restaurante refinado de cozinha francesa. Desde a apresentação até a qualidade gustativa, tudo é perfeito. Fica na 56 boulevard Vauban. Preço médio 80 euros.

Le Mouflon d’Or – Restaurante de cozinha marroquina. Logo na entrada descobre-se uma sala amplamente decorada com mosaicos e motivos orientais. A especialidade é o cuscuz marroquino. Fica na 46 Rue du Pont. Pratos com preço médio de 17 euros.

Le Bistrot du palais – Pequeno restaurante de comida francesa, cozinha simples, mas muito boa. Ambiente agradável. Ótima localização. Fica na 65 Rue de Paris. Preço médio 15 euros.

Tem mais barato?

Tarti Croq – Uma bela descoberta no centre-ville, esse pequeno restaurante possui um cardápio variado e original. As tartines, os croques e as sobremesas são deliciosos. Fica na 48 rue de Paris. Cardápio a partir de 7 euros.
Le Chouquet’s – É uma sanduicheria, fast food, casa de chá e pausa doce. Fica na 18 place Charles Surugue.

Bon voyage!!!


Você também precisa conhecer

Ainda sem sugestões de passeios próximos para esta cidade.

12 de agosto de 2017

12 de agosto de 2017

RELACIONADOS
Dijon

12 de agosto de 2017

Auxerre
3°
céu limpo
Humidade: 95%
Vento: 2m/s ENE
Max. 12 • Min. 3
6°
Dom
4°
Seg
5°
Ter
Dados da OpenWeatherMap
Quem sou
Bird

Conheci a França através dos livros e descobri que este país é, por si só, um exemplar admirável. Desses que te hipnotizam da primeira página ao último ponto. Violento e delicado, por vezes há um toque de conto de fadas. Pura emoção.

A história francesa é o cenário principal da narrativa com suas coerências e paradoxos, glórias e fracassos. Registre!!! A leitura mágica me transportou para tempos remotos e contemporâneos.

Quero que a minha viagem seja nossa. Ela está aqui, na bilheteria da estação ferroviária. Faça uma boa viagem e volte para me contar. Como dizem os franceses: "À Bientôt, j'espère."

Parceiros