Aix-En-Provence

Por em 12 dezembro, 2016


Elegante e refinada, a sedutora Aix-en-Provence floresceu em meio à arte, à cultura e à certeza do seu charme. Aqui, água não falta e o sol brilha, mesmo quando chove.

A HISTÓRIA

Chuva de Sangue. Julho de 1608.

Chuva de Sangue. Julho de 1608.

Esta vila termal celta existe desde 122 ac, chamada de “D’Aguae sextiae”. Em 102 ac possuía muralhas e um teatro, o que fazia dela uma cidade importante dentro da região. Devido à sua localização, servia para proteção dos interesses de Roma em Marseille. A partir de 477 até 731 foi invadida diversas vêzes. Desde então, a vila entrou num longo período marcado, essencialmente, por estagnação econômica. A partir 1409, com a mudança do Rei René, Rei titular da Sicilia, – também conhecido como Duque D’Anjou ouComte de Provence – para a cidade, inicia-se a idade de ouro. O monarca trouxe consigo uma côrte refinada e letrada. Seu centro universitário foi fundado no mesmo ano por Por Louis II D’Anjou, uma corte de justiça foi implantada e uma generosa contribuição foi doada para seu embelezamento.

Em 1486, a Provence foi incorporada à França. Em julho de 1608, um caso, no mínimo estranho, aconteceu na cidade. Os subúrbios foram cobertos por uma chuva de sangue. Os monges decidiram explorar a credulidade do povo e explicaram que eram influências satânicas do lugar, e mesmo com a explicação científica dada pelo intelectual Nicolas-Claude Fabri de que o sangue era, na verdade, excrementos de borboletas, a população decidiu acreditar na palavra dos monges. O pânico e o terror foram instalados na população. Aix-En-Provence só recebeu este nome em 1932, antes era conhecida como “Aquis-In-Provincia”. Vindo do latim, “Aquis” ou “Aix” significa água. Sua população está em torno de 147000 habitantes.

O QUE FAZER

O que a Provence tem? A resposta é imediata: ”Le soleil, madame! Le soleil, monsieur!“ Se você já viveu um inverno rigoroso, sabe como o sol é uma dádiva de Deus. Portanto, le soleil, o sol, é rei soberano. É a Provence de Midi (meio-dia), hora em que o sol está mais forte, hora que os provençais mais amam.

Essa cidade de estudantes, com excelente qualidade de vida, bem conservada, rica em edifícios do século XVII e XVIII, possui um centro histórico com 140 monumentos catalogados. A vila de Aix é a mais rica em monumentos depois de Paris: é arte e história à flor da pele! Conhecida pela grande quantidade de fontes, a cidade possui pequenas e charmosas ruas com todas as possibilidades de mercados, lojas e restaurantes.

Para quem gosta de pedalar, a cidade pode ser explorada de bicicleta, alugada no centre comercial Les Allées Provençale – 2 avenue Des Belges, perto do centro de ajuda ao visitante.

Outra forma de se ter uma visão panorâmica é pegando o trenzinho que circula pela cidade. O intinerário contempla os principais pontos turísticos e a viagem dura em torno de 45 minutos.

O centro de ajuda ao visitante fica 2 place du Général-de-Gaulle. Pegue um mapa, tire suas dúvidas(como circular nos micro-ônibus chamados Diabline, melhores passes a serem adquiridos e excursões pelos arredores da cidade).
Inicie sua jornada turística pela fonte da Rotonde de onde partem quatro avenidas: Boulevard de la République (que segue para as termas), Avenue Victor Hugo (que vai em direção à estação de trem de Aix), Avenue des Belges (que vai pra estação rodoviária) e Cours Mirabeau (que leva ao centro histórico da cidade). As árvores que decoram as avenidas são os Platanos, elas ficam completamente desfolhadas no inverno, ganham uns brotinhos na primavera, no verão a copa é frondosa e fornece sombra em dias de muito calor, no outono adquirem aquele visual bucólico com folhas nas cores que vão do marrom ao amarelo.

Place de la Rotonde

A fonte, um dos monumentos mais conhecidos de Aix-en-Provence, está situada na continuação da Cours Mirabeau. Ela foi projetada pelo engenheiro Théophile de Tournade e inaugurada em 1860. O diâmetro total do monumento é de 41m de comprimento por 12m de altura.
Cours Mirabeau



Uma das ruas mais bonitas de toda a Europa, mesmo no final do inverno, quando as árvores ainda não anunciaram a chegada da primavera, ela não perde o seu ar aristocrático. Cours Mirabeau, linda e poderosa. Cheia de história como o Hôtel de Castillon do século XVIII, no número 21, bares, boutiques e restaurantes.

Place Des quatre-Dauphins
By Salva Barbera

By Salva Barbera

Situada no coração do quartier du Mazarin, foi projetada pelo arcebispo de Aix, Michel Mazarin. Fica na interseção das rue Cardinale e rue Quatre-Septembre, a 3 quarteirões da Cours Mirabeau.
Igreja Saint-Jean-de-Malte


Foi construída no fim do século XIII, entre 1272 e 1277. Hoje, possui 3 sinos, expostos no interior da igreja, aguardando a restauração de suas torres, para serem reinstalados. Os vitrais são muito bonitos. Visite o museu Granet com obras de Cézanne, um dos mais ricos da Provença, anexo à igreja. Saint-Jean-de-Malte foi classificada como patrimônio histórico em 1840. Fica na Rue Cardinale com rue d’Italie.

Hôtel-de-Ville
Torre do relógio na Place de l’Hôtel de ville BY George Saguin (Okki)

Torre do relógio na Place de l’Hôtel de ville BY George Saguin (Okki)

Construída entre 1655 e 1678 por Pierre Pavillon, sua fachada foi inspirada nos palácios italianos. Em frente ao hotel fica a place de l’Hôtel-de-Ville, instalada no século XIV com sua torre do relógio astronômico de 1661, coroada de um campanário(torre preparada para ter sinos). A torre chama a atenção logo que se entra no centro histórico.
Cathédrale de Saint-Sauveur


Dedicada a Cristo, seu nome significa Santo Salvador e foi construída no lugar de um antigo Forum romano. Segundo a lenda, sua fundação está sobre um templo dedicado ao Deus Apollo. As arcadas do Claustro são do fim do século XII. Fica na Place des Martyrs de la Résistance.
Museu des Tapisseries – Tapeçarias dos séculos XVII e XVIII revestem as paredes desse palácio eclesiástico. Fica na 28 Place des Martyrs de la Résistance.
No exterior da vila, encontram-se numerosos monumentos históricos, como a Pont de Saint-Pons ou a Pont des Trois-Sautets. Não longe dessa ponte ficam as antigas enfermarias, edificadas entre 1564 e 1671, atualmente, transformadas em hotel.

Hoje é dia de feira



Na place Richelme, todos os dias pela manhã tem um mercado de frutas, verduras e peixes, onde podem ser compradas delicias, como azeitonas, lavanda e queijos locais. As iguarias estão sempre fersquinhas. O mercado de flores acontece as terças, quintas e sábados na Place Dês Prêcheurs.

Seguindo os passos de Cézanne
Paul Cézanne 1839 - 1906

Paul Cézanne 1839 – 1906

Paul Cézanne nasceu em Aix-en-Province em 1839. Amigo inseparável de Émile Zola, que conheceu no colégio Bourbon d’Aix-en-Province, dividia com ele o sonho de mudar para Paris, onde acreditavam eles, a vida acontecia!

Em Aix-en-Province foram rejeitados na escola e sofreram preconceitos enquanto viveram. Zola por ser um italiano considerado pobre, e Cézanne por ser um novo rico, filho de um fabricante de chapéus de feltro e fundador do primeiro banco de Aix. Por esse motivo, os amigos sempre concordavam que ”Aix-En-Provence era um lugar magnífico com pessoas detestáveis”.

Reconhecidos ao final de suas vidas como as figuras mais ilustres de Aix-en-Province, Cézanne transformou-se num dos três maiores pintores do pós-impressionismo e Zola, tornou-se um dos mais conhecidos e respeitados escritores de todos os tempos.

Cézanne, porém, só teve suas obras expostas no museu local de Aix, o museu Granet, depois de 1921. Antes disso, o diretor do museu declarou que enquanto ele vivesse, nenhuma tela de Cézanne seria exposta lá. O homem viveu até 1921 e manteve sua palavra. O tratamento que Aix deu a Cézanne durante sua vida foi vergonhoso. No final, já diabético e sofrendo de vertigens, era confundido com um bêbado e apedrejado pelas ruas.

Rideau, Cruchon et compotier , 1893 - Paul Cézanne

Rideau, Cruchon et compotier , 1893 – Paul Cézanne

Hoje, existem muitas pinturas de Cézanne no museu Granet, compradas a preço de ouro ou emprestadas do museu D’Orsay, em Paris. É dele o quadro Rideau, Cruchon et Compotier(cortina, jarro e compoteira) , vendido em 1999 por 60.5 milhões de dólares.

Atualmente, na cidade, o pintor é lembrado com plaquinhas de bronze com a letra “C” que sinaliza os pontos que tiveram significado na vida dele. Entre os mais importantes estão o Café Les Deux Garçons (Os dois garotos), na Cours Mirabeau, o museu Granet, que possui, em torno de , 10 das suas obras e o Atelier Cézanne, mantido como ele deixou. Ir até lá não é fácil, a subida é íngreme e há pouco o que ver, entretanto, vendo a simplicidade do lugar, é possível imaginar o estilo de vida do artista. Descanse na paz do jardim.

Zola, que morreu em 29 de setembro de 1902, também teve um tratamento vergonhoso pela cidade. Seu pai foi o engenheiro responsável pela concepção da barragem abaixo de Aix. As águas dessa barragem transformaram a situação da vila, levando água própria e potável a seus habitantes através de suas incontáveis fontes, que hoje são a razão do seu charme!

OS ARREDORES (BATE E VOLTA)

No caminho em direção aos vilarejos, observe os girassóis à procura de um pouco mais de sol e dividindo seu espaço com as lavandas. A impressão que se tem é estamos num cenário cuidadosamente montado para um filme de romance.



Antes que eu comece a falar das maravilhas dos vilarejos e você comece a sentir fome, é bom lembrá-lo que nos vilarejos, a maior parte dos restaurantes fecha às 14:00hs e não há jeitinho brasileiro que mude isso. Caso perca o horário, contente-se com um sanduiche de alguma boulangerie, o que não deixa de ser igualmente fantástico!

Café Vincent Van Gogh

Café Vincent Van Gogh

Arles – A cidade chamada de “alma da Provence”, atrai os amantes da arte. Van Gogh deixou Paris em 1888 e morou aqui até 1889. Procurava por “uma luz diferente” e encontrou uma “transparência no ar” que em meio a sua loucura impressionista o inspirou a pintar algumas centenas de quadros e a cortar a própria orelha esquerda, após uma briga com Gauguin. A orelha foi dada de presente a uma prostituta pelo próprio Van Gogh. Segundo relatos, a prostituta, um dia, disse achar linda sua orelha. O bar amarelo da foto acima, inspirou uma de suas telas “Terrasse du café”. A tela original está na Holanda e a inspiração, em Arles. A cidade possui um dos conjuntos mais valiosos de construções romanas da Europa, superando até mesmo a Itália.
Partindo de Aix a viagem de TGV dura 1:25 com 1 conexão.
Anfiteatro de Nîmes

Anfiteatro de Nîmes

Nîmes – a cereja do bolo é o anfiteatro Arènes de Nîmes, o mais bem conservado da Europa. Foi construído no século I e possui 2 níveis de arquibancadas sobrepostas capazes de sustentar torcedores fanáticos, ávidos por lutas sangrentas. Possui uma exposição permanente, impressionante, sobre a vida dos gladiadores.
Partindo de Arles a viagem de TER dura 00:27hs.
Canal de L'Isle-Sur-La-Sorgue

Canal de L’Isle-Sur-La-Sorgue

L’Isle-Sur-la-Sorgue – esta cidadezinha, encantadoramente colorida, é conhecida como a Veneza Provençal. Possui a maior número de antiquários da França, depois de Paris. Com o mar e a montanha envolvidos na paisagem, a culinária aqui, vai do camarão ao cordeiro, passando pelos legumes, frutas, pães e azeites. Alguns pratos regados a vinho branco e ervas, perfumam as panelas e o ambiente. Se você é um autêntico “Chef” com “C” maiúsculo, não pode perder esta cidade. A cidadezinha fica a 70,2km de Aix, para chegar lá, pegue o ônibus LER 17 que sai da Gare de Aix em direção a Carpentras. A viagem dura 1:16h.
Roussillon

Roussillon


Roussillon – Esqueça a aparência das pedras no acabamento das construções medievais: em Roussillon é diferente! Todas as casas são pintadas com pigmentos de terra das montanhas em volta. O solo da região é rico em óxido de ferro, o que dá esse tom ocre à argila. Aqui, videiras prosperam e como diz um ditado provençal: “um dia sem vinho é um dia sem sol”. Sente-se, beba um rosé de Provence e curta o Midi. Um sorvete de rosas, é também uma ótima opção. Merci Midi!!!. Roussillon fica a 67,5km de Aix. Consulte o centro de ajuda ao visitante.

SOUVENIRS

Santons de Provence

Santons de Provence

Santons Fouque – Vende figuras de santos, em madeira. São mais de 1900 moldes de figuras com acabamento à mão e pintados de acordo com modelos do século XVIII. Fica na 65 cours Gambetta, route de Nice.

QUANDO ANOITECE

O la Rotonde na place Jeanne d’Arc é um café, bar e rendez-vous entre amigos. Aberto diariamente das 20:00hs.

COMO CHEGAR

Aix-En-Provence fica a 755km, sul de Paris. Partindo de PARIS GARE DE LYON o TGV gasta 3:02hs até estação Aix-En-Provence centre. Na estação, pegue um ônibus que faz a rota estação-centro.

Avignon fica a 81km de Aix-En-Provence e a viagem de TGV dura 55 minutos incluindo uma conexão de ônibus que o deixará em Aix-en-Provence Centre.

Marseille fica a 32km de Aix-En-Provence e a viagem de TGV dura 30 minutos até a estação de Marseille Saint Charles. O trajeto pode ser feito de ônibus.

Nice fica a 306km de Aix-En-Provence e a viagem de TGV dura 3:07hs até Nice Ville.
Consulte www.aixenbus.fr para viagens próximas a Aix.

QUANDO IR

O Clima é quente e seco no verão e a cidade se enche de turistas para ver o sol, a lavanda e os girassóis. No inverno, tudo é lindo e bucólico! As temperaturas negativas provocam episódios raros de neve. A primavera é ensolarada e suave, o outono é marcado por trovoadas violentas.
Julho/Agosto – tem festival internacional de música.
Em Saint-Baume – tem festa de Maria Madalena com missa à meia noite nos dias 22/23 de julho.

ONDE FICAR

Hôtel Artea Aix Centre – Situado no coração de Aix, perto do grande Thêátre de Provence e da Fotaine de la Rotonde. Fica a 5 minutos de caminhada da estação de trem. Fica na 4 Boulevard de la République. Diárias a partir de 134 euros.

Grand Hôtel Negre Coste – Situado num edifício do século XVIII, no coração da Cours Mirabeau, e a 10 minutos de caminhada a partir da estação de trem. 5 minutos à pé da catedral. Fica na 33 Cours Mirabeau. Diárias a partir de 125 euros.

Não tem hotel mais barato? Sim.

La Concorde – Excelente localização, no centro de Aix. Fica a 5 minutos da Cours Mirabeau. Perto do museu Granet. Fica na 66 Boulevard du Roi René. Diárias a partir de 67 euros.

ONDE COMER

A gastronomia de Aix-en-Provence é provençal e mediterrânea, caracterizada pela utilização de produtos frescos como peixes, legumes e frutas. Pode-se observar que os pratos mais consumidos são a Soupe au Pistou(sopa com legumes de verão, patê de alho esmagado, azeite de oliva e manjericão), Daube Provençale (Carne de boi, cordeiro, javali, touro ou polvo marinado no vinho tinto ou branco dos vinhedos de Provence), o Aioli (Bacalhau fresco, acompanhado de pasta de alho e legumes cozidos), Tapenade (pastas de azeitonas, anchovas e alcaparras) e o Ratatouile (refogado de cebola, tomates, abobrinha, berinjela e pimentão, acompanha carnes e peixes).

Como sobremesa, é impossível perder o Calisson d’Aix, feito à base de pasta de amêndoas, aromatizados com melão e laranja cristalizados. Essa é uma especialidade da vila desde o século XVII.

Quanto aos vinhos, embora os tintos e os brancos façam parte da aristocracia provençal, os melhores Rosés do mundo estão por aqui. Eles também são elegantes, poderosos e harmonizam com quase tudo.

Chez Maxime – Restaurante com clima provençal e sabores provençais. Decorado com cadeiras na cor Bordeaux e paredes cor de salmão. Oferece grelhados de peixe e carne. A sugestão é o Caillete de Province(patê à base de carnes e ervas provençais). Como sobremesa, o Fondant de chocolate. Fica na 12 place Ramus. Preços a partir de 21 euros.

Antoine Côte Cour – Situado numa casa do século XVIII perto da Place de la Rotonde. Serve comida italiana provençal. A sugestão é o macarrão romano com sabor de fígado de vitela. Fica na 19 cours Mirabeau. Preços a partir de 16 euros.

Não tem mais barato? Sim.

Ao longo da Cours Mirabeau há vários restaurantes que oferecem o menu do dia por preços bem em conta. A partir de 15 euros.

Boulangerie Bechard – é a padaria mais antiga de Aix, aberta há mais de 100 anos. A cozinha é subterrânea. As produções são diárias. Fica na 12 Cours Mirabeau.

Bon Voyage!!!


Você também precisa conhecer

12 de dezembro de 2016

12 de dezembro de 2016

RELACIONADOS
Carcassonne

23 de junho de 2017

Ruinas da Arena romana de Cimiez
Nice

12 de dezembro de 2016

Avignon

11 de outubro de 2016

Aix-en-Provence
17°
nublado
Humidade: 88%
Vento: 7m/s ESE
Max. 19 • Min. 16
18°
Sab
19°
Dom
14°
Seg
Dados da OpenWeatherMap
Quem sou
Bird

Conheci a França através dos livros e descobri que este país é, por si só, um exemplar admirável. Desses que te hipnotizam da primeira página ao último ponto. Violento e delicado, por vezes há um toque de conto de fadas. Pura emoção.

A história francesa é o cenário principal da narrativa com suas coerências e paradoxos, glórias e fracassos. Registre!!! A leitura mágica me transportou para tempos remotos e contemporâneos.

Quero que a minha viagem seja nossa. Ela está aqui, na bilheteria da estação ferroviária. Faça uma boa viagem e volte para me contar. Como dizem os franceses: "À Bientôt, j'espère."

Parceiros