Reims

Por em 6 julho, 2017

Os vinhos depois da segunda fermentação produzem desejos engarrafados, chamados de champagne. O imperador Napoleão Bonaparte disse: “Na vitória merecemos Champagne, na derrota precisamos dela”.

A HISTÓRIA

A cidade dos reis e da champagne já foi uma província romana. O cristianismo apareceu no meio do século III e a primeira catedral surgiu no século IV. Clovis, um chefe pagão se converteu ao catolicismo quando foi batizado pelo bispo saint-Rémi no Natal de 496. Esta data é comemorada como o dia do batismo da França. O direito de governar dos reis da França os tornava guardiões de Deus na terra, desde que fossem coroados em Reims. Assim, do século X ao século XIX, 32 reis da França foram coroados na Catedral de Notre–Dame de Reims.

A champagne é um capítulo à parte na história de Reims, descoberta no século XVII por Dom Pérignon, o inventor da regra da segunda fermentação.

Durante a primeira guerra, quando a cidade foi 85% destruída, e a segunda guerra, a população ficou um tanto abatida com as destruições, humilhações, deportações e fuzilamentos. Mas Reims se recuperou e foi reconstruída. Hoje, a população é de 200 mil habitantes.

O QUE FAZER

O centro de ajuda ao visitante fica bem em frente à estação de Reims na 6 rue Rockfeller.
Reims está repleta de restaurantes majestosos, champagnes conhecidas no mundo inteiro, praças lindíssimas, longas avenidas, monumentos góticos, campos de batalhas e uma montanha, cuja encosta é um tapete de vinhedos.

Não se esqueça de pegar um mapa das trilhas chamadas de Sentiers Grandes Randonées(GRs) que ficam ao longo da Montagne de Reims. As encostas são recobertas de vinhedos que fazem a reputação mundial da região. Você pode explorar esta área tanto à pé quanto de bicicleta e, se cansar, algumas estações de trem estão ao longo do caminho. As principais rotas são a GR14 e GR141 entre Verzy, Reims e Epernay.

Reims é muito fácil de ser explorada e a melhor forma é à pé. Se preferir, o transporte público é eficiente com ônibus, micro-ônibus e tramway. Um bilhete de transporte pode ser usado durante 1 hora, mas o interessante é comprar 1 bilhete para 10 viagens: fica mais barato! O bilhete deve ser validado dentro do ônibus. Se quiser pagar o transporte na entrada, o dinheiro deve estar trocado e aqui, vale uma dica : seja ágil!

Basilique Saint- Rémi

Esta igreja foi construida em torno do ano 1000 e é a mais antiga de Reims. Ela contém as reliquias do Bispo Saint-Rémi quando batizou Clovis, o chefe pagão, em 496. Em 760, foi fundada a abadia Saint-Rémi e instalada a comunidade religiosa Beneditina que permaneceu até a revolução francesa. O mosteiro foi o guardião da sagrada ampola usada para unção dos reis da França e agora funciona como um museu e conta a história de Reims. A Basílica fica na 53 rue Saint-Simon.

Cathédrale Notre-Dame de Reims

Sua construção começou no século XIII, com conclusão somente no século XIV. É uma das maiores realizações da arte gótica da França. Tornou-se patrimônio histórico da Unesco em 1991. Fica na 53 rue St-Simon.

32 reis da França foram ungidos e coroados nesta catedral. Na Fachada, o centro da galeria dos reis é composta por 56 estátuas, num total de 2303 estátuas da catedral.
Foi designada como a « Catedral dos Mártires » durante a primeira guerra mundial. Em 1914, ela foi bombardeada pelos alemães. A destruição do monumento provocou uma forte onda de emoções através do país. Muitos prisioneiros feridos alemães, refugiados dentro da catedral, foram mortos. Mas, graças às fotografias tiradas em 1880 e a ajuda financeira de mecenas americanos, entre eles a Família Rockfeller, e a sociedade dos « amigos da Catedral » ela foi restaurada a partir de 1919.

Palais du Tau
Palais du Tau e a catedral de Reims ao lado, vista através do jardim by Ludovic Péron

Palais du Tau e a catedral de Reims ao lado, vista através do jardim by Ludovic Péron

Fica ao lado da catedral. Construído em 1690 como residência para os bispos de Reims. Aqui, aconteciam as celebrações das coroações dos reis franceses.

Várias estátuas que antes decoravam a fachada da catedral, foram substituídas por cópias.As originais estão em exibição no Palais du Tau. As relíquias sagradas de Reims, incluindo um cálice do século XII para comunhão dos monarcas e um talismã que contém uma relíquia da Santíssima Cruz usada por Carlos Magno, também estão expostas no palácio. Fica na Place du Cardinal-Luçon.

Salle de Reddition (1945)

Na segunda feira do dia 7 de maio de 1945, às 2:41h, no Collège Moderne et Technique de Reims, onde estava instalado o quartel General de Eisenhower, comandante supremo, as forças aliadas põem fim à segunda guerra mundial, obtendo a rendição das armadas de terra, mar e ar do 3º Reich. A novidade só foi anunciada às capitais aliadas no dia 8 de maio de 1945 às 15:00h. A sala da assinatura, que era a sala de guerra do grande estado maior do corpo expedicionário aliado implantado em Reims, foi classificada como monumento histórico. Não foi alterada desde a assinatura da rendição. Fica na 12 rue Franklin-Roosevelt.

Porte de Mars

É um monumento do século III, construido entre 180 e 230. Era um arco do triunfo para testemunhar a grandeza da vila sobre o alto império. Seu nome vem de um templo dedicado a Mars, Deus Romano da Guerra. Este é o arco mais largo do mundo romano. A Porte de Mars foi classificada como patrimonio histórico em 1840. Fica na place de la République.

DEGUSTANDO CHAMPAGNES

Para visitação às caves é necessário pegar táxi. Não é possível chegar lá por meio de transporte público.

O valor da visita guiada depende da champagne a ser degustada e da quantidade de taças, uma ou duas.

As adegas estão abertas o ano todo, mas a época mais interessante para visita é no outono, durante a colheita da uva. Os horários de funcionamento podem ser afetados de última hora.


Taittinger – Suas adegas romanescas foram cavadas das minas de calcário Gallo-Romanas em uso entre os séculos IV e XIII. A visita é agradável, não existem grandes caminhadas, mas algumas escadas a subir e descer. A visita termina com a degustação de uma pequena taça de champagne, numa sala bastante fria. Fica a 2 km de Reims na 9 Place Saint-Nicaise.

Veuve Clicquot-Ponsardin – Desde sua criação em 1772, a Maison Veuve Clicquot-Ponsardin elabora grandes vinhos e champagnes. Sua história é marcada pelo trabalho de uma mulher de personalidade forte que assumiu a cave depois da morte do marido em 1866 até 1895. São 26 km de galerias subterrâneas. Fica na 1 place des Droits-de-l’Homme.

Outras adegas não menos importantes:

Mumm – fica na 34 rue du Champ-de-Mars.
Maison de Pommery – place Général-Guraud.

OS ARREDORES (BATE E VOLTA)

Abbaye de Hautvillers – um oceano de videiras e depois uma abadia construída numa cidade de sonhos. Foi aqui que Dom Pérignon, mestre de caves descobriu, no século XVII, as regras da segunda fermentação do vinho que resultaria na champagne. Ele travou uma guerra contra as bolhas que surgiram e se rendeu a elas, incondicionalmente, quando teve a idéia de criar garrafas mais robustas e rolhas amarradas com arames para conter o líquido borbulhante. A corte francesa amou! Sua laje funerária de bom monge merece uma respeitosa visita.

Estátua de Dom Pérignon em Épernay

Estátua de Dom Pérignon em Épernay

Épernay – A grande rival de Reims na produção de champagne fica na margem esquerda do rio Marne. Aqui fica a Moët et Chandon, a mais importante maison de champagne da região. Seu vinhedo gigantesco produz milhões e milhões de garrafas ao ano. Criada em 1743, a Moët, como é chamada corriqueiramente, é proprietária do Claustro e das videiras da abadia de Hautvillers. Ela evoca a genialidade de Dom Pérignon, o inventor da champagne que descreveu sua invenção nos seguintes termos: ”Às qualidades naturais dos vinhos de Marne, à tendência espumante, eu descobri que podia acrescentar um complemento de superioridade graças ao princípio da segunda fermentação e pela adição de açúcar…”.

Champagne Dom Pérignon

Champagne Dom Pérignon

Produzida a partir de castas nobres Chardonnay e Pinot noir, o envelhecimento nas adegas ocorre entre 6 e 8 anos. Fica na 18 Avenue de Champagne.

Ainda em Épernay você pode visitar a Mercier e a De Castellane, ambas na Avenue de Champagne. Fica a 26 km de Reims.

SOUVENIRS

O comercio gira em torno da catedral nas ruas próximas à rue de Vesle, cours Langlet e Place Drouet d’Erlon.
CPH – La Grande Boutique de Vin – Conta com mais de 150 tipos de champagne com preços que vão do muito barato até o caro. Fica na 3 place Léon Bourgeois. Não esqueça de incluir champagne na sua lista de souvenirs. O teto para entrar no Brasil são 12 garrafas.

La Maison Fossier – Não saia de Reims sem provar os biscuits roses de Reims. Eles são leves e muito saborosos. A Maison Fossier fica na 25 cours Jean-Baptiste Langlet.

Parc de expositions – é um mercado de pulgas lotado de bugigangas. Fica na Route de Châlon-en-Champagne a 4km de Reims. Acontece todo o primeiro domingo de cada mês, exceto julho e agosto.

QUANDO ANOITECE

O melhor lugar para começar a noite é na Place Drouet d’Erlon.

Au Bureau – é um pub e uma cervejaria ao mesmo tempo. Possui mais de 200 tipos de cerveja e uma clientela de todas as idades. Fica na 9, place du Cardinal Luçon.

L’escalier – é um bar mais calmo com música dos anos 80 e 90. fica na 7 rue chativesle.

COMO CHEGAR

Reims fica a 130 km a sudeste de Paris, na região de Champagne. Partindo de PARIS GARE DE L’EST, o TGV gasta 00:47h até a estação de Reims.

Laon fica a 45km de Reims e a viagem dura 00:45hs até a estação de Laon.

Lille fica a 168Km de Reims e a viagem dura 4:05hs até a estação Lille Europe.

Strasbourg fica a 282Km de Reims e a viagem dura 4:55hs até a estação Strasbourg Station.

QUANDO IR

Nada pode afugentar um bom bebedor de champagne.
Abril/junho – Carnaval
Maio – Festa de Jeanne d’Arc.
Junho/Setembro – Festival Cathédrale de Lumière

ONDE FICAR

Les crayères – Este majestoso hotel château é personificação da L’art de vivre à la française. A decoração é magnífica, possui um parque de 7 hectares. O restaurante conta com uma cozinha estrelada no Michelin. A vizinhança não poderia ser melhor. Fica na 64 Boulevard Henry Vasnier. Diárias a partir de 390 euros.

Quality Hotel Reims Europa – está localizado em Reims, perto do centro comercial e a apenas 5 minutos a pé do Palais du Tau. Fica na 29 rue buirette. Diárias a partir de 70 euros.
Hôtel De La Cathédrale – localização excelente! Os quartos foram reformados e personalizados. Localizado a 150 metros da catedral e a menos de 3 minutos a pé do centro da cidade, o Hôtel De La Cathédrale fica no centro de Reims na 20 rue Libergier. Diárias a partir de 80 euros.

Não tem hotel mais barato? Tem.

CIS de Champagne – Ethic Etapes – Este albergue possui o melhor custo benefício. Fica a 10 minutos a pé do centro de Reims. Os quartos são simples e a maioria possui banheiro com chuveiro privativo. Café da manhã incluído. Fica na 21 Chaussée Bocquaine. Diárias a partir de 35 euros.

ONDE COMER

Em Reims não faltam restaurantes para agradar o mais refinado paladar e champagnes que seduziram reis e imperadores.

L’Ambic – É o que se espera de um bom restaurante. Entradas excelentes, pratos extraordinários e sobremesas mágicas. A sugestão é o Carré d’agneau (Carré de cordeiro). Menu formule (entrada + prato principal + sobremesa) a partir de 20 euros. Fica na 63 B rue de Chativesle.

Le Foch – Este restaurante possui uma estrela Michelin. Menu Gourmand a partir de 65 euros. Fica na 37 Boulevard Foch.

Não tem mais barato? Tem.

Louise Creperie et salon de thé- O lugar é bonito e agradável. Produtos frescos, deliciosos crepes salgados e doces, galettes. As saladas são divinas e a Tartine savoyarde agrada o paladar dos deuses. Preços a partir de 7 euros. Fica na 15 rue Marx Dormoy.

Bon voyage!!!


Você também precisa conhecer

Ainda sem sugestões de passeios próximos para esta cidade.

6 de julho de 2017

RELACIONADOS
Lille

13 de agosto de 2017

Laon

7 de agosto de 2017

Arrondissement de Reims
14°
nublado
Humidade: 93%
Vento: 1m/s N
Max. 17 • Min. 12
13°
Sab
11°
Dom
11°
Seg
Dados da OpenWeatherMap
Quem sou
Bird

Conheci a França através dos livros e descobri que este país é, por si só, um exemplar admirável. Desses que te hipnotizam da primeira página ao último ponto. Violento e delicado, por vezes há um toque de conto de fadas. Pura emoção.

A história francesa é o cenário principal da narrativa com suas coerências e paradoxos, glórias e fracassos. Registre!!! A leitura mágica me transportou para tempos remotos e contemporâneos.

Quero que a minha viagem seja nossa. Ela está aqui, na bilheteria da estação ferroviária. Faça uma boa viagem e volte para me contar. Como dizem os franceses: "À Bientôt, j'espère."

Parceiros